Como crescer na intimidade com a Virgem Maria Leave a comment

Se você deseja crescer na intimidade com a Virgem Maria, provavelmente já sabe – pelo menos um pouco – sobre a necessidade da devoção a Ela e o seu papel na santificação das almas. Como bem explica São Luís Maria Grignion de Montfort em seu Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, Deus Filho transmitiu à Sua mãe tudo quanto conquistou pela Sua vida e morte: Seus méritos infinitos e eminentes virtudes.

Assim, por meio dela, Jesus “aplica os méritos que tem aos Seus membros, e por meio dela transmite Suas virtudes e distribui Suas graças” (São Luís Maria Grignion de Montfort). Jesus, sendo Deus, quis vir ao mundo encarnando-se no seio de Maria, para que Ela fosse o canal por meio do qual a Graça chegaria ao mundo.

Se Jesus submeteu-se à Virgem Maria (Lc , 51), quanto mais nós, seres humanos falhos e pecadores, não teremos que nos submeter à Nossa Senhora para, assim, sermos configurados completamente a Cristo, como membros do seu Corpo.

Intimidade com a Virgem Maria: crescendo na devoção

Para crescer na intimidade com a Virgem Maria, vamos passar por alguns pontos do Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, de São Luís Maria Grignion de Montfort. A partir de sua reflexão, entenderemos como devemos viver para crescer na devoção à Mãe de Deus.

Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria - S. Luís Montfort  Vozes Livros Santa Cruz - Editora & Livraria Católica Livros

  • Cristo deve ser o fim último de todas as devoções

Ele é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim (Ap 22, 13). Antes de tudo – lembra São Luís – é importante entender que somente n’Ele está a completude integral da Graça, da virtude e da perfeição.

A devoção à Nossa Senhora é apenas para que possamos instituir uma melhor e mais perfeita devoção a Cristo. Se entendermos isso de forma perfeita e plena, nunca teremos receio de crescer na intimidade com a Virgem Maria, pois estaremos buscando o próprio Jesus.

  • Ser escrava voluntária de Maria

São Luís explica as duas maneiras de se pertencer a outra pessoa e estar sujeito à sua autoridade: por meio do serviço ordinário ou pela escravidão. Uma vez que toda criatura é naturalmente escrava de Deus, já que é totalmente dependente dEle e devendo O servir sem esperar qualquer recompensa, assim ela deve ser escrava voluntária de Nossa Senhora.

Como dizem os santos, assim como Jesus e Maria têm a mesma vontade e o mesmo poder, têm também os mesmos súditos, servos e escravos. Logo, devemos ser “escravos amorosos de nossa Santíssima Senhora, para nos tornarmos escravos mais perfeitos de Jesus” (São Luís Maria Grignion de Montfort).

  • Adotar poucas orações e práticas piedosas

“A fidelidade e a constância são os sinais distintivos dos servos de Maria” (São Luís Maria Grignion de Montfort). Ao invés de abraçar diversas devoções, práticas e orações – as quais podem sobrecarregar e terminar em inconstância e mornidão – apegue-se a poucas e realize com fervor, amor e perseverança.

  • Honrá-la como a divina Mãe de Deus

Por meio do culto de hiperdulia, deve-se “estimá-la e honrá-la mais do que todos os outros santos”, pois a Virgem Maria é “a obra prima da graça e a primeira em santidade após Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem” (São Luís Maria Grignion de Montfort).

  • Carregar consigo sinais de devoção como o rosário, escapulário ou correntinha

Estes sinais de devoção devem sempre levar a pessoa para mais próximo de Nossa Senhora, nunca uma forma de alimentar o ego ou esconder pecados e maus hábitos sobre o manto da Santíssima Virgem.

Esses são apenas alguns pontos para te ajudar a crescer na intimidade com a Virgem Maria, mas ainda há muitas outras questões que São Luís Maria expõe em seu Tratado e que, com certeza, te ajudarão a se aproximar da Santíssima Mãe de Deus.

Você já conhece nosso calendário de aparições marianas?

Baixe agora gratuitamente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *